Chipres: os perfumes quentes e sensuais dessa família olfativa

De todas as notas olfativas, essa provavelmente é a mais antiga do mundo! Isso quer dizer que há anos a junção de perfumes sensuais, sofisticados e quentes agradam o olfato das pessoas.

Chipre é também uma denominação diferente para aromas lenhosos, o que lembra muito a categoria de notas amadeiradas. E nem todo mundo conhece a diferenciação entre essas fragrâncias.

Na realidade, essa família ainda pode ser um mistério para muitas pessoas, pensando nisso, trouxemos um guia para você e com a ajuda dos tópicos a seguir, você vai desvendar tudo o que seu olfato aguçado não te mostrou. Acompanhe a leitura!

  • Um passeio pela história da família chipre
  • As sofisticadas variações de chipre
  • Principais características das fragrâncias chipres

Um passeio pela história da família chipre no Brasil

O contato do Brasil com os Chipres é recente, mas esse tipo de fragrância não é nem um pouco nova. Nós só tivemos conhecimento dela em uma breve onda positiva econômica entre 2008 e 2011. Nesses anos foi possível para o brasileiro realizar viagens para fora do país e importar essas para cá. 

De todas as notas olfativas, essaNossa perfumaria era muito boa, porém tímida para riscos maiores como o desenvolvimento de fragrância tão finas. Ainda havia o fato de que elas estavam muito mais inclinadas para a produção de itens mais básicos como cremes, sabonetes e produtos de lavanderia, ou seja, ainda não era a hora para o chipre.

Já no mercado internacional sempre foi diferente. Lá os chipres tinham em média 2% a 4% de patchuli (óleo essencial obtido de folhas) e muitos ainda continham mais, mas aqui no Brasil havia uma grande rejeição por conta dessa dosagem. Depois dos ajustes necessários condizentes com a realidade tropical do nosso país (dosagens de até 0,8% de patchouli), o perfume se tornou um sucesso, e então, o Brasil estava pronto para aproveitar essa obra prima!

As sofisticadas variações de chipre

A classe dos Chipres pode ser encontrada por diferentes variações deste nome. De qualquer maneira, Chipré, Chyprees ou Chypre recebe essa nomenclatura como referência do nome de uma ilha grega. Detalhe: a mesma ilha que Vênus nasceu, segundo a mitologia grega.

Só isso seria o bastante para entender o tamanho da safisticação e prestígio da fragrância, mas ainda há as demais variações de chipres. Por exemplo:

Chipre clássico

Como o nome sugere, essa subclasse é mais raiz que as outras. Nela o patchuli é mais dominante, mesmo que ultimamente tenham algumas combinações com rosas.

Chipre frutal

Aqui a nota frutal é adicionada, o que faz com que a junção indique uma menção ao cheiro do pêssego. Isso empurra a fragrância para um nível único, passeando entre o lenhoso do chipre e o adocicado da fruta não cítrica.

Chipre verde

Nessa fragrância a gente encontra uns acordes verdes com essências gramíneas e ervas, mas você também pode achar suaves acordes florais como o jacinto. Ou seja, definitivamente singular!

Chipre couro

O Brasil nunca investiu na criação dessa categoria, mas ainda assim ela é uma tendência associada à feminilidade dos perfumes.

Bem, vejamos agora as características dessa nota olfativa!

Principais características das fragrâncias chipres

A definição da fragrância de chipre não é simples, especialmente porque ela pode conter vários ingredientes. Mas existe uma regra que exclusiva: para a sua composição é imprescindível o uso de alguns ingredientes que são como a assinatura desse tipo de perfume. Elas são: a bergamota, o musgo de carvalho e patchuli. Pelo visto a sofisticação tem mesmo uma receita.

Por vezes as essências da rosa, jasmim e lábdano também se fazem presentes. Ou mesmo componentes químicos de aromas floral e citros, mas nesses casos a fragrância é descrita como floral aldeído.

Dentre todas as informações de variações, composições e notas o fato mais importante é: a sofisticação está lado a lado aos perfumes chipres, minhas caras!

Compartilhe:
×